Depoimentos

E quando a saudade aperta?

saudade
Loraine Eira
Escrito por Loraine Eira

Passou 1 semana, 1 mês, 1 ano, 1 ano e ½, e agora…2 anos!

Pois é… não é porque o tempo passou que você deixa de ter saudades, se acostuma. Muito pelo contrário, existem dias que a saudade bate e muito!

Quantas vezes eu pensei e repensei de fazer um intercâmbio, de mudar de país…

O que realmente me prendeu durante tantos anos foi a minha família. O medo de não saber lidar com a saudade, de não fazer parte do dia-a-dia deles, medo de saber de uma perda… No fundo, é na sua família e nos seus amigos que você pensa nessas horas.

Sai do Brasil, fui morar na Irlanda e depois vim para Portugal. Não importa aonde você esteja, uma ligação não consegue suprir a necessidade de um beijo e de um abraço bem apertado naqueles que você ama.

Vontade de estar lá sem querer deixar de estar cá…

saudade

É esse o sentimento que passa pela minha cabeça em diversas circunstâncias…

Quero estar lá no Brasil para ter a convivência que tinha com as pessoas que amo, que me fazem bem! Ao mesmo tempo, quero estar aqui onde me sinto segura, ao lado do meu namorado, conhecendo e vivendo a cultura dia após dia dos lugares que tanto almejei viver.

A saudade bate? Bate, muito, em vários momentos! Quer uma dica para tentar aliviar um pouco esse sentimento?

– Facebook: Postar seu dia-a-dia no Facebook pode parecer para muitos uma exibição. Mas a felicidade do “like” que seus pais e irmã dão num post que você fez, vendo que você esta feliz, realizada, passeando, realizando seus sonhos NÃO TEM PREÇO! Use o Facebook, uso mesmo! Mesmo longe, sua família esta ligada a você vendo, curtindo e compartilhando momentos. Não existe nada mais tranquilizador para os pais do que ter notícias dos seu filhos.

– SKYPE: Já perdi a noção de quantas vezes cheguei em casa e liguei o skype torcendo para que minha família estivesse online. A distância existe, mas poder ver e conversar alivia a dorzinha que bate no peito quando a saudade vem à tona.

– WhatsApp: Ter um grupo com sua família e amigos fazem você se sentir em casa, mesmo longe. Assuntos do dia-a-dia fazem você estar presente mesmo do outro lado do continente. Não deixe de ter contato com aqueles que sempre fizeram parte da sua vida! Cultive sempre a amizade e carinho daqueles que te fizeram feliz durante todos esses anos.

– Viva novos ares: A saudade esta no peito, mas você não pode se prender a esse sentimento. Você deve manter contato com aqueles que te apoiaram e que te amam, mas você não pode estar 100% conectado com o seu país de origem! Você mudou de país, e não, para um casulo! Portanto, viva! Faça que essa mudança vale a pena tanto para você quanto para aqueles que te querem bem! Conheça novas pessoas, ande com nativos desse novo país, conheça a cultura, tente aprender uma nova língua (dependendo de onde for morar)… Conhecer novas pessoas faz com que você tenha momentos mais alegres e dá forças para superar os obstáculos que um imigrante fatalmente irá passar!

Sua família (tirando aqueles de porta retrato) e amigos (os verdadeiros), estarão lá quando você voltar!

E acredite… Quando você voltar, durante uma conversa com seus parentes e amigos, esses anos passarão despercebidos, pois a cumplicidade é tanta que nada mudará o afeto que vocês tem um pelo outro!

Boa sorte!

😉 Gostaria de nos acrescentar alguma informação ou nos alertar quanto a algum possível erro?

Envie um e-mail a contato@o-tuga.com

Comentários

comentários

Sobre o autor

Loraine Eira

Loraine Eira

Fundadora do O-TUGA, é colecionadora de carimbos no passaporte e de fotografias. Se apaixonou por Dublin em seu intercâmbio em 2014 mas escolheu a terra dos tugas para criar raízes em 2015. Definitivamente, uma paulistana que resolveu deixar São Paulo para descobrir o mundo!!!