Carta convite – Portugal

Ao chegar na imigração, normalmente os agentes questionam o período que o viajante ficará no país, se tem ou não um seguro viagem, como irá se manter financeiramente e aonde vai ficar hospedado.

Agora, se você não reservou uma hospedagem, pois irá ficar na casa de um conhecido, você deverá ter consigo durante o processo imigratório uma carta convite!

A carta convite é um documento simples, mas que ao ver é mandatório para facilitar sua entrada no país caso não tenha reservas em algum hotel ou hostel.

Essa semana eu vi um brasileiro comentando na internet que não precisou da carta convite para entrar na Europa. Ok, um agente pode não ter questionado, mas e se questionasse? Você colocaria em risco todo o investimento, seu tempo e ficar sujeito a uma deportação por não possuir um documento que comprove aonde ficará? Eu não arriscaria…

Portanto, vou mostrar um modelo de carta convite para que vocês evitem aborrecimentos e transtornos como esse. Além do que, fique atento ao prazo de validade do seu passaporte e data de retorno. Os agentes perguntam e muito quando será o retorno e muitos ainda pedem para ver um comprovante da passagem de retorno.

Modelo de Carta Convite – Informal

Local e data

Ao

Oficial responsável

Serviço de estrangeiros e fronteiras – SEF

Prezado (a) senhor (a),

Eu (nome do anfitrião, estado civil, profissão, nacionalidade), portador do BI ou Cartão Cidadão (número do BI ou Cartão Cidadão) e válido até (validade do BI), residente à (morada completa com código postal), possuidor dos telefones (números de contato), convido (nome dos convidados(as) completo, nacionalidade, profissão), portador do passaporte (número do passaporte), emitido a (data de emissão) e válido até (data validade), residente à (morara completa com código postal), a visitar-me no período de (início do período) a (fim do período).

Declaro que, durante a permanência em território nacional do cidadão estrangeiro acima citado, assumir o compromisso de assegurar as despesas com hospedagem, alimentação e outras que se fizerem necessárias e ainda a responsabilidade pelo pagamento das despesas necessárias ao afastamento quando este seja necessário.

Declaro estar ciente que o cidadão estrangeiro citado acima NÃO pode desenvolver qualquer actividade profissional, remunerada ou não, nos termos da Lei nº23/07 de 04JUL. Declaro ainda ter conhecimento que o favorecimento ou facilitação da entrada irregular de cidadão estrangeiro em território nacional, constitui crime de auxílio à imigração ilegal, punido por lei nos termos do art.º. 183º do referido diploma legal.

Atenciosamente,

___________________

(assinatura do anfitrião)

Mais algumas informações importantes!

Apenas a pessoa que reside no país de destino que pode escrever a carta convite, ou seja, quem é nativo do país ou tem permissão de residência que pode escrever uma carta como essa. Não é permitido que uma pessoa que não tenha todos os documentos de moradia legalizados faça essa carta. Afinal, se não esta legalizada, aos olhos da imigração, mais algum conhecido poderá vir e também ficar ilegal no país.

A carta convite pode ser escrita pelo computador, ou se preferir, a próprio punho. Particularmente, eu sugiro que você faça pelo computador para não ter problemas caso a caligrafia da pessoa não seja muito favorável para leitura.

Agora, fique atento as conexões! Tenha em mãos uma carta convite compatível com o idioma da imigração que você passar. Portanto, se viajar do Brasil para Portugal e parar numa conexão na Espanha, também tenha em mãos uma carta convite em Espanhol.

Como mencionado acima, a carta convite é um documento informal, mas o Termo de Responsabilidade do SEF é o documento oficial.

Recomendamos que, o documento seja reconhecido em cartório (notário). Isso não é obrigatório, mas recomendamos para que tenha a entrada mais tranquila possível em Portugal. Inclusive, aconselho que a pessoa que esta convidando envie junto da carta, uma cópia dos documentos citados para apresentar a imigração. Quanto mais você puder mostrar que suas intenções são as melhores possíveis, melhor!

Um ponto que também julgo ser importante e as vezes pode passar despercebido…

O documento deve ser feita de forma individual, ou seja, se uma família esta sendo convidada para passar alguns dias na Europa a turismo, cada um deve ter a sua própria carta convite e termo de responsabilidade.

Por último, sugiro que leiam as leis de imigração do país de destino.

Veja quais são as exigências impostas para entrada nos sites das Embaixadas/Consulados.

No caso de Portugal, quem controla a entrada de estrangeiros é o SEF – Serviços de estrangeiros e fronteiras.

De resto, boa sorte e boa viagem!

 

🙂 Gostaria de nos acrescentar alguma informação ou nos alertar quanto a algum possível erro?

Envie um e-mail a contato@o-tuga.com

Imagem via Pexels

Loraine Eira
CO-Fundadora do O-TUGA, é colecionadora de carimbos no passaporte e de fotografias. Se apaixonou por Dublin em seu intercâmbio em 2014 mas escolheu a terra dos tugas para criar raízes em 2015. Definitivamente, uma paulistana que resolveu deixar São Paulo para descobrir o mundo!!!

Comentários

comentários

Loraine Eira

Loraine Eira

CO-Fundadora do O-TUGA, é colecionadora de carimbos no passaporte e de fotografias. Se apaixonou por Dublin em seu intercâmbio em 2014 mas escolheu a terra dos tugas para criar raízes em 2015. Definitivamente, uma paulistana que resolveu deixar São Paulo para descobrir o mundo!!!