Voluntariado

Voluntariando no sudoeste asiático

Voluntariado

2017 o ano que marcou a minha vida. Na verdade a mudança já vinha acontecendo desde 2013 quando decidi sair da minha zona de conforto no Brasil e embarcar para um intercâmbio na Irlanda.

Não estava muito contente no trabalho e um relacionamento terminado de maneira bastante traumática foram os pivôs que me ajudaram nessa decisão.

Resolvi tudo em três meses e parti para o desconhecido. Em principio seriam apenas oito meses de intercâmbio para aprender inglês e conhecer alguns países da Europa. Mas mesmo indo de peito aberto não imaginava que essa experiência iria mudar tanto a minha vida.

Cresci, chorei de saudade, conheci gente, fiz questão de desconhecer alguns também, experimentei novos sabores, me apaixonei, desapaixonei (não sei nem se essa palavra existe), até que chegou o momento que Dublin começou a ficar pequena para o tamanho dos meus sonhos. Hora de sair da zona de conforto novamente.

A vontade de conhecer a Ásia era sonho antigo, mas eu queria fazer mais, queria compartilhar com o mundo o que eu aprendi nesses quatro anos de Irlanda.

Antes planejei o mochilão pela Europa, encontrei alguns amigos pelas 10 cidades e oito países pelos quais passei. Fiz novos amigos também, me diverti horrores.

Dia 05 de outubro cheguei em Bangkok, Tailândia. Diferente de tudo o que eu tinha visto, sentido e comido antes.

País com uma cultura bem diferente da nossa brasileira e da europeia com a qual convivi durante alguns anos.

Toda essa trajetória contada acima foi importante para te contextualizar em qual momento eu cheguei aqui e perceber que eu não sei nada da vida mesmo. Vim para cá para, além de conhecer esse país incrível, fazer duas semanas de trabalho voluntário ensinando inglês para crianças menores de 4 anos.

Eu tinha experiência com crianças dessa idade porque na Irlanda trabalhei de babá. O que eu realmente não esperava é que isso seria uma das melhores vivencias da minha vida.

Na sala nós cantamos, contamos até 20, falamos de cores, comidas, animais, pulamos, fazemos exercícios. Eles tem bastante energia, e a pureza é algo que me fascina. Me chamam de teacher com todo esse sotaque tailandês fofo, me enchem de abraços, ficam encantados com as minhas tatuagens e me fazem me sentir uma pessoa incrível.

Quando comecei a pesquisar sobre trabalho voluntário pela região da Ásia estava em dúvida entre Tailândia ou Vietnã. Escolhi Tailândia por uma questão de logística do mochilão. Ótima escolha! A fundação que se chama Thong Tos Foundation é gerenciada por pessoas de diversas religiões, que tem como objetivo mostrar a importância da educação para essas crianças.

Eu estou hospedada no mesmo prédio aonde as aulas são ministradas em uma comunidade que fica na parte oeste de Bangkok. Em troca das aulas recebo hospedagem free, com quarto e banheiro compartilhado com outros voluntários. Além de aulas de inglês, a Fundação também tem um trabalho com futebol, então se você é bom de bola, pode se inscrever para ajudar nessa área também. Eu pesquisei trabalho voluntário em diversos sites, mas esse aqui eu encontrei pelo Worldpackers.

Bem, o ano ainda não acabou, mas 2017 realmente marcou a minha vida, como disse no começo desse texto. A viagem continuará até Dezembro pelo sudoeste asiático e ainda vou ter bastante história para contar e compartilhar com o mundo.


Sugestão de Vídeo relacionado ao nosso Canal no Youtube

Comentários

comentários

Sobre o autor

Thaís Fernanda Ribeiro

Thaís Fernanda Ribeiro

Thaís Ribeiro é jornalista e morou em Dublin por 4 anos. Hoje está fazendo um mochilão pela Europa e Ásia conhecendo novos lugares, cores e sabores. Amante de livros, passa duas quadras longe de qualquer livraria para o bem de seu orçamento mensal.